3/30/08

Depois de um longo e tenebroso inverno...

Tudo bem, ainda não estamos no inverno, mas achei o título perfeito para retomar o blog depois de quase dois meses sem postar nada por aqui.

Preguiça mesmo, não tenho um desculpa melhor. Aproveito um domingo em casa, sozinha, já que Marcos embarcou ontem para o México. Treinamento de 1 semana. Detesto ficar sozinha mas ao mesmo tempo acho bom às vezes poder ter um tempo só meu.

Do Carnaval pra cá, não aconteceu muita coisa. Só uma viagem para a Salvador na Semana Santa, com alguns amigos e a aquisição de uma cafeteira Nespresso. Estou simplesmente viciada nos cafés e cappuccino que meu mais novo xodó pode fazer.

Ah, e estou lendo a biografia de Eric Clapton, meu guitarrista preferido. Tive a oportunidade de assistí-lo em Melbourne e minha admiração já tinha crescido, depois de tê-lo ouvido ao vivo. Lendo a história de sua vida, a admiração só aumenta. Recomendo, para os que gostam de Eric e de blues. É um exemplo de dedicação, talento e pessoa que soube ultrapassar diversos barras pesadas e dar a volta por cima.

Adoro música e tudo a respeito. Sempre digo que uma de minhas frustrações é não saber tocar nenhum instrumento e não ter ido a um show do Legião. A música sempre foi muito presente em minha família, desde meus pais que gostavam de reunir parentes e amigos para ouvir os discos de Chico, Vinícius, Toquinho etc até meus irmãos, grandes influências musicais para mim.

Cresci ouvindo MPB por conta dos meus pais e Rock'n'Roll por conta de meus irmãos. Lembro que aos 9 anos, quando comecei a fazer curso de inglês no CCAA, minha maior distração era pegar os LPs dos meus irmãos e decorar as letras das músicas. Aprendi muito assim... Não tinha a menor idéia do que estava falando, mas repetia sem parar: C'mon baby light my fire, ou, If you wanna hang out you've got to take her out; cocaine. Hahaha, logo eu... A mais careta de todos os tempos.

Lógico que como toda e qualquer criança, tinha também minhas preferências: Balão Mágico, Trem da Alegria, Menudo (que era ouvido com muitas reclamações por parte de meus irmãos, 10 anos mais velhos do que eu!) e na adolescência: A-Ha, George Michael, Madonna... Mas confesso que minha cultura musical passou por muita coisa boa que aprendia gostar com eles: Supertramp, The Doors, America, Led Zeppelin, Eric Clapton, U2 (minha banda preferida), Pink Floyd, Rolling Stones, Renaissance, e por aí vai.

Post doido, descambei pra um assunto completamente nostálgico... Enfim, tudo isso, porque estou lendo a biografia de Deus, Lord Eric, como ele se autodefinia do alto de seus 10 anos, quando ganhou da avó um violão muito do mixuruca, difícil a beça de tocar...

Páro por aqui, vou continuar a ler meu livro e torcer para que a semana passe bem rápido!

3 comments:

Maria Fabriani said...

Querida, é sempre um prazer te ler novamente. E já estou na fila pra pegar emprestado o livro sobre o Eric Clapton. Eu não sou fiiiiina, sabe, vi o Clapton num show na Apoteose, não em Melbourne, mas já serviu pra eu me apaixonar. :)
saudades suas!

Renata Torres said...

Oi Mary,
Eu lembro que você me contou que tinha assistido na Apoteose... Garanto que você se divertiu muito mais do que eu, já que lá em Melbourne as pessas assistiam ao show sentadas, quase sem fazer movimento. Eu tive que me segurar várias vezes para não levantar e dançar, mas tinha que manter a pose, né?
Beijo

Deise said...

Adoro ler um texto e me sentir "dentro" da cabeça de alguém, acompanhando todas as conexões da memória. Adorei sua re-estréia :)
Aproveite sua semana sozinha pra colocar a leitura em dia, pensar muito, fazer muitas conexões e escrever aqui pra lermos. E fiquei com vontade de ler a biografia. E sou meio frustrada pq não tive irmãos mais velhos roqueiros.
Beijos!
Deise